Company Profile

A Rima Industrial S/A foi fundada em 1952 e é atualmente líder mundial na produção de Silício Metálico e Ferro Ligas e também a única produtora de Magnésio Primário no hemisfério sul. O Grupo Rima possui 3 plantas industriais no Brasil e é totalmente integrada com as suas plantas florestais e de mineração. O Grupo possui mais de 4000 funcionários.

A Rima está localizada no estado de Minas Gerais, que é o terceiro maior exportador do Brasil. A empresa utiliza tecnologia de ponta e junto com profissionais altamente qualificados, atende às expectativas dos clientes seguindo todos os padrões segurança e respeito ao meio ambiente. A empresa exporta produtos para o mercado mundial, incluindo a Europa, Ásia e América do Norte, assegurando a qualidade de seus produtos com as certificações internacionais, como a ISO 9001:2008, ISO TS16949:2009, ISO 14000:2004 e OHSAS 18001.

O processo da Rima Industrial é altamente verticalizado. Na divisão de fundição sob pressão da Rima, peças automotivas e aeronáuticas em magnésio e alumínio são produzidas com recursos minerais próprios da empresa, utilizando processos sustentáveis e que propiciam redução de emissão de gases de efeito estufa.

Em 1981, a Rima se tornou fornecedora exclusiva de ligas de magnésio para a Volkswagen do Brasil. Em 1999, ela adquiriu a planta de fundição sob pressão da VW Brasil e promoveu significativos aperfeiçoamentos em sua tecnologia de fundição e também os seus produtos. Como resultado, a VW estendeu a garantia de alguns dos componentes de seus veículos devido à alta qualidade dos produtos fornecidos pela Rima.

É importante, por exemplo, citar a evolução da qualidade experimentada pelo conhecido bloco de motor VW refrigerado a ar que hoje é produzido pela Rima e comercializado ao redor do mundo utilizando a marca VW. Esse bloco de motor foi originalmente desenvolvido pelo engenheiro húngaro Josef Ganz em 1920, iniciando a motorização de planadores alemães e depois utilizado por Ferdinand Porsche no projeto do VW Fusca.

A Volkswagen nunca demonstrou nenhum interesse em desenvolver uma plataforma aeronáutica utilizando esse motor.

Por muitos anos, várias empresas contataram a Rima solicitando a possibilidade de desenvolvimento de um novo motor aeronáutico a partir do conceito do motor VW refrigerado a Ar, uma vez que a Rima havia adquirida a planta de fundição, juntamente com todos os moldes usados pela VW.

Em 2006 a Rima decidiu então iniciar um projeto de conversão do motor VW ar em uma versão aeronáutica. Em 2009 iniciaram os testes com os primeiros protótipos desenvolvidos nas instalações da própria empresa. Nesse período acumulou-se conhecimentos importantes via ensaios com esses primeiros protótipos e isso foi utilizado como base no desenvolvimento do projeto otimizado.

Em 2012, o projeto do motor aeronáutico foi adquirido pela Motorav Indústria e Comércio LTDA, que mantém suas operações na cidade de Bocaiuva, Minas Gerais – Brasil, onde o motor foi originalmente desenvolvido pela Rima Industrial.

A MOTORAV analisou a performance de outros motores oriundos de conversões VW sendo que os seus pontos fortes e fracos foram considerados, bem como foram ouvidos diversos fabricantes de aviões experimentais e pilotos para elaboração de melhorias que possibilitaram o desenvolvimento de um motor que atendesse a essas necessidades específicas.

Em 2014, a Motorav contratou o consultor americano Bill Brogdon da empresa BMEP, Inc. que possui mais de 40 anos de experiência no projeto de motores aeronáuticos a pistão. O Sr. Brogdon foi, durante grande parte de sua via profissional, o Chefe de Engenharia da Continental Motors nos Estados Unidos.

Os engenheiros da Motorav, projetistas, analistas, engenheiros de manufatura, gerentes e consultores trabalharam em conjunto para projetar um motor específico para o mercado da aviação experimental seguindo estritamente os conceitos aeronáuticos.

Esse trabalho resultou em uma melhora significativa no projeto do motor, como: um bloco de motor reforçado em todas as suas zonas frágeis, virabrequim de corpo único com o flange integrado, cabeçotes exclusivos com admissão e escape situados na parte inferior, duas velas por cilindro com fácil acesso para manutenção, bossa para termopar aeronáutico tipo baioneta nos cabeçotes, ignição eletrônica, alternador e magneto integrado, tuchos hidráulicos com possibilidade de remoção sem necessidade de abertura do bloco (fim aos ajustes de válvulas constantes existentes com os tuchos mecânicos), comando de vávulas de alta performance, opções de radiadores remoto (com mangueiras) ou fixo diretamente no bloco de motor, maior capacidade de óleo com uso de sobrecárter especialmente projetado para esse fim, e outras características que fazem com que o motor seja de fácil instalação e adaptação na maioria dos aviões LSA existentes atualmente.

Para desenvolvimento do projeto, foram realizados estudos tecnológicos sofisticados via análise por elementos finitos nos principais componentes do motor por empresas mundialmente conhecidas pelos especialistas da indústria aeronáutica, como o ITA (Instituto de Tecnologia Aeronáutica) e a Integral Powertrain Ltd. na Inglaterra.

Outras análises executadas incluíram as seguintes otimizações: áreas dos dutos de admissão e escape, perfil do comando de válvulas, análise dinâmica do trem de válvulas, análise de tensões do virabrequim, análise torsional do virabrequim, análise por volumes finitos de enchimento e solidificação para as operações de fundição de componentes críticos do motor, entre outras. O resultado dessas análises foi utilizado para realizar melhorias no projeto do motor. A MOTORAV LTDA acumulou um extenso know how na operação e desenvolvimento de motores utilizando os testes de bancada e em aviões.

O início das vendas do motor está previsto para a segunda metade do ano de 2017.

A MOTORAV possui um acordo de exclusividade com a Polymet Alloys Inc. para venda e serviços de distribuição de peças para o mercado Norte Americano.

Para atendimento dos demais mercados globais a própria MOTORAV LTDA será a responsável diretamente de sua unidade no Brasil.